Permissão

Hoje, permitirei que sente ao meu lado
E olhe o vento ventar a folha que amarelou.
Hoje, permitirei que sinta o beijo que ontem não dei
E ouça o conto contar a história que não vingou.

Hoje, permitirei que toque meus sonhos
E ouça a música cantar a estrofe que perdoou.
Hoje, permitirei que espie o medo que eu não contei
E veja a lua luar o tempo que retornou.

Hoje, permitirei que deite em meu colo
E deixe o sonho sonhar a volta que imaginou.
Hoje, permitirei que tenha o abraço que não entreguei
E seja o mar a marejar os olhos que já amou.