Encontro

image…me encontrei serena na trêmula carne
…me arranquei sangrando.
Escondi possessões erradas
Planejei histórias vis
E vi no calor de meus afagos
A possibilidade de em êxtase seguir
Perpetuando a espécie do meu riso
Por ser sempre e ter contornos
Pelos cantos e inebriantes jeitos…
Em meus toques certos males
De fêmea em tanta sanha.

(Junho de 1999)

Grafismo da autora.

Sobre sensações

Sim, há quem consiga neste mundo apenas sentir. Sem pensar, nem medir, sem refletir todo o tempo e filtrar. Sem modelar ou fingir, sem conter ou pesar. Dentre tantos, há os que percebem o que a maioria não sente. São os que absorvem a magia do invisível, as sensações do pulso do mundo.

Às pessoas que vivem no espectro das hipersensações, a muitas das crianças com autismo, relembro um pouco de alguém que também sentia muito.

Os Meus Pensamentos São Todos Sensações, de Alberto Caeiro (Fernando Pessoa)

Sou um guardador de rebanhos.
O rebanho é os meus pensamentos
E os meus pensamentos são todos sensações.
Penso com os olhos e com os ouvidos
E com as mãos e os pés
E com o nariz e a boca.
Pensar uma flor é vê-la e cheirá-la
E comer um fruto é saber-lhe o sentido.
Por isso quando num dia de calor
Me sinto triste de gozá-lo tanto.
E me deito ao comprido na erva,
E fecho os olhos quentes,
Sinto todo o meu corpo deitado na realidade,
Sei a verdade e sou feliz.