Eles

Ela sonhou acordada e dormiu em pé
Ele alargou seu espaço e madrugou até
Ela teve na garganta a dor da alma
Ele extravasou no rosto uma lição de calma
Ela se exauriu para não ser quem é
Ele se eximiu pelas falhas da outra fé
Ela coloriu riscos fortes e desalinhados
Ele descobriu mais acordes desafinados
Ela rodopiou caiu e levantou
Ele se curou e fortemente caminhou
Ela escreveu destas e de outras tantas linhas
Ele carregou metas e ideais com uma família
Ela se assumiu poeta e transfigurou a perfeição
Ele se pôs mudança e deu pra si meditação
Ela ainda sonha acordada e dorme em pé
Eles alargam espaços e se amam até.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s